+ 19°C
Netburgo

“PRECONCEITO MATA”, ALERTA UROLOGISTA EM PALESTRA A palestra foi uma realização da Prefeitura Municipal de Arceburgo, através da Secretaria Municipal de Saúde. Por meio de um bate-papo fr…

Casa / Arceburgo

“PRECONCEITO MATA”, ALERTA UROLOGISTA EM PALESTRA A palestra foi uma realização da Prefeitura Municipal de Arceburgo, através da Secretaria Municipal de Saúde. Por meio de um bate-papo fr…

Encontro: Jan 22, 2021
Autor: netburgo 184 Nenhum comentário

“PRECONCEITO MATA”, ALERTA UROLOGISTA EM PALESTRA
A palestra foi uma realização da Prefeitura Municipal de Arceburgo, através da Secretaria Municipal de Saúde.

Por meio de um bate-papo franco e com didática descomplicada, o urologista Dr Djair Safiotti, explicou sobre a função da próstata e as principais doenças que acometem o órgão. O destaque foi para o câncer de próstata, já que o sucesso do tratamento depende do estágio em que a doença é diagnosticada.
Segundo o especialista, alguns mitos fazem com que os homens só procurem os consultórios e hospitais quando o problema de saúde já está instalado, o que complica bastante o tratamento e a possibilidade de cura.
O exame do toque ainda é um tabu para muitos homens, mas é preciso superar essa questão. Para Dr Djair, a falta de informação e o preconceito fazem com que os homens não busquem periodicamente assistência médica. “Trata-se de uma patologia que muitas vezes é assintomática. Quando começam a aparecer os sinais, em 95% dos casos, a doença já está em fase adiantada. Não há métodos de prevenção eficazes, mas sim de diagnósticos precoces eficazes, o que eleva a chance de cura para 90%”.
Durante a apresentação, Dr Djair comentou que nos países desenvolvidos o número de mortes em consequência desta doença é muito menor do que as ocorrências registradas, o que indica uma procura precoce aos serviços de saúde, o que não ocorre no Brasil, por exemplo. Daí a importância dos exames de diagnóstico, que são o toque retal e o exame de sangue (PSA). A orientação é que seja obrigatório a partir dos 50 anos, e a partir dos 45 anos, em caso de fatores de risco (genética, afroascendência e obesidade).
“O exame PSA é mais eficaz quando feito junto com o exame de toque retal. Tem que fazer os dois exames. Se existir um histórico de câncer de próstata em sua família, converse com seu médico sobre a periodicidade dos exames de PSA” – relatou.
A mensagem final de Dr Djair foi de que o amor à vida deve superar qualquer barreira. “Preconceito mata! Eu já vi e continuo vendo paciente com câncer de próstata morrer pelo preconceito de ir ao médico e fazer um simples exame. É preciso lembrar que essa postura coloca em risco não só a sua saúde, mas também a vida das pessoas que convivem com você: familiares, amigos”.
As estatísticas desse tipo de câncer não são nada generosas. Segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA), 61.200 novos casos devem ser registrados em 2019. Trata-se do segundo tipo de câncer mais frequente entre os homens brasileiros. A cada sete minutos uma pessoa é diagnosticada com a doença.




Fonte : @saudearceburgomg

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *